9ª Corrida São Lucas leva esporte, saúde e integração entre médicos e população no Recife

0
96

As pontes e ruas do Recife Antigo, abençoadas pelo sol forte e brilhante que iluminava a tudo e a todos, compuseram o cenário perfeito para a 9ª Corrida São Lucas. O evento, realizado pelo Simepe em homenagem ao mês do médico, contou milhares pessoas entre corredores, organização e torcedores. Marcaram presença também o presidente da entidade, Tadeu Calheiros; a vice Claudia Beatriz, além dos diretores executivos Malu David e Lissandra Moura, e o presidente eleito do Conselho Regional de Medicina (Cremepe), Mario Fernando Lins.

A disputa, que já uma realidade do calendário estadual do atletismo, teve largada dada do Paço Alfândega. Ao todo, mais 700 corredores participaram da prova, que teve percursos de 5km e 10km. Para isso, toda uma estrutura foi montada pelo Sindicato dos Médicos, em parceria com a Corpore Sano. No espaço, os atletas e médicos realizaram o aquecimento com um aulão bastante descontraído, além de receberem uma massagem para relaxar os músculos. No local, houve também uma preocupação com outros serviços, como hidratação, alimentação e até acupuntura para aliviar a tensão pré-prova.

Tanto cuidado resultou em elogios dos corredores. O experiente corredor Matheus Bezerra, por exemplo, destacou que nunca tinha sido recebido assim num evento esportivo. “Muitas vezes as pessoas esquecem de se preocupar com a nossa preparação, focam apenas na organização, mas a Corrida São Lucas está dando um show. Muitas vezes estamos chegando de outros compromissos, sem tempo de nos organizar e aqui a gente está conseguindo relaxar para fazer uma boa corrida. Está tudo ótimo”, ressalta.

Bem avaliada pelos mais experientes, o evento também foi uma grande primeira experiência para outros novos corredores. Foi o caso do professor Roberto Nascimento. “O sol está intenso, mas fomos muito bem recebidos. Recebi uma massagem, me hidratei e agora é terminar de aquecer para fazer uma boa prova. Certeza que seguirei correndo depois daqui e já quero voltar no ano que vem”, projeta.

O percurso das provas de 5km e 10 km foram semelhantes. Quem escolheu o menor trajeto passou pelo Paço Alfândega, Ponte Giratória, Cais de santa Rita, Cais José Estelita, até próximo do Cabanga, onde retornaram. Já o caminha mais comprido rodou até perto da zona sul da cidade, voltando pelo mesmo caminho e contemplando outros pontos, como Marco Zero e Forte de Brum. Ambas as provas foram concluídas no mesmo local da largada.

Com pouco cerca de 20 minutos, os primeiros corredores cruzaram a linha de chegada. Aos poucos, uma nova multidão, exausta e feliz, superava seus limites e concluía seus desafios pessoais. Fato valorizado pelo presidente do Simepe, Tadeu Calheiros, que viveu na pele –  mais uma vez – a experiência de completar o percurso de 5km. “Somos médicos e temos o compromisso de promover a saúde. O Simepe é o espelho de sua categoria, que luta, mesmo em condições adversas, para garantir o bem estar e qualidade de vida da população. Neste mês, em especial, estamos ainda mais felizes e em luta. E poder ver essa interação entre todos, médicos e população em geral, é gratificante demais. No incentiva a fazer sem uma festa esportiva cada vez maior”, comemora.

Responsável por capitanear a organização da Corrida São Lucas, a diretora de cultura e eventos do Simepe, Malu David, destaca o apoio dos patrocinadores e apoiadores. “Uma corrida como esta tem um custo importante de realização. Por isso, foi fundamental colaboração dos nossos patrocinadores. Grandes em grupos como Extrabom, Sicred, Athena Investimentos, Interne, Instituto de Desenvolvimento Educacional (I.D.E.), Drogasil e Coopecárdio estiverem lado a lado conosco este ano. É uma parceria forte e que vem se firmando ao longo dos anos. O sucesso deste evento passa por esse pilar de apoio fundamental. Estamos juntos e ainda mais fortes no que vem”, celebra.

Finalizada a chegada de todos os corredores, foi a hora da premiação de todas as categorias, quem envolveram categorias até 45 anos e acima dos 45 anos para médicos e não médicos, masculino e feminino. Mesmo ainda curtindo toda a alegria da grande corrida de 2018, a vice-presidente do Simepe, Claudia Beatriz, projeta a edição de 2019. “O resultado das ruas não deixa outro caminho: vamos seguir crescendo. A Corrida São Lucas é uma grande celebração para médicos e população, uma fórmula que deu certo e será ampliada. Ver a alegria e satisfação de cada pessoa aqui, hoje, é inexplicável. Vamos em frente, porque é para lá que devemos correr sempre”, pontua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here